"Abrindo..."

É comum ouvir falar que o livro é “muito melhor” do que o filme, ou série. E também é muito comum ouvir “eu li n livros”. Mas será mesmo que o livro é melhor?

Partido do pressuposto que muitos filmes e séries são baseados em obras literárias, é comum que isso ocorra, muitos filmes ou séries algumas pessoas podem nem saber sua origem. Então essa comparação acaba ocorrendo com uma certa frequência.

E então as pessoas na maioria das vezes são frustradas com seu formato no cinema, não gostam do ator, ou da história omitida, ou o que foi adicionado ao filme. E acabam não gostando e assim criticando.

Mas há alguns pontos interessantes a se levar quando ao fato de comparações, pois, a interpretação do livro é muito pessoal e variante, muito de acordo com os costumes e o ambiente em que o leitor está inserido no seu círculo cultural, econômico e social.


Outro ponto interessante a se levar em conta é a tradução da obra literária, pois nem sempre a tradução é fiel ao que autor quis transmitir em sua obra, devido ao fato em que muitos elementos são só compreendidos no ambiente em autor está, em sua língua, em seus costumes, que podem ser sim, muito diferentes do seu leitor. Expressões idiomáticas são muito difíceis de ser compreendidas em uma língua diferente.

A pressão social que se dá ao livro, em que ser um leitor frequente, nos faz reforçar este pensamento que o livro sempre é melhor que o filme. Com isso, o pensamento popular acaba corroborando para esta ideia que livro SEMPRE é melhor que o filme ou série.

O que deve ser levado em consideração e muitas vezes passado desapercebido é que, o autor em muitos casos acompanha a filmagem. Em muitos casos, nem sempre. Então a fidelidade da obra tem um forte argumento de defesa.

O livro é uma forma de transmitir ideias da forma em que o autor enxergou este pensamento, no ponto de vista do autor, com sua origem intelectual, e suas convicções sobre o mundo. Então isso é muito importante saber, que deve ser respeitado a isenção particular sobre o assunto, e sim ao que escritor quis transmitir.

Mesmo que, o leitor tenha lido o livro é possível que não tenha observado, ou atento a este ponto que o conteúdo só é compreendido em sua totalidade quando o se sente submerso no mundo do escritor, e assim poder ver através dos seus olhos, a história contada.


Contudo, é importante também em ser humilde em aceitar que o diretor pode ter tido uma visão mais fiel ao que o autor quis transmitir, do que a leitura individual. Com isso, o filme pode ser mais próximo da ideia do autor, pois a interpretação pode sim ser melhor que a sua, e em muitas vezes não é apenas o diretor que lê a obra literária. E sim uma equipe de roteiristas.

Além de elementos que ajudam a assimilação do pensamento através da sua versão nas telinhas, traz ao espectador mais um sentido para sua interpretação, ou seja, são estimulados os sentidos audição e visão, enriquecendo o conteúdo. Vale ressaltar que, o importante é a compreensão da ideia transmitida pelo autor, independente do gosto particular.

Então o formato de cinema pode sim ser melhor que o livro, ao contrário da cultura popular acreditar o inverso. Pois você tem várias formas de interpretação, e possivelmente uma leitura através da visão da equipe de roteiristas do filme ou série. O importante é a assimilação do conhecimento, independente do meio, não é importante o número de livros lido, se não houve agregação de conhecimento, deve se manter isento e também humilde em aceitar não importa quantos livros você leu, e sim o quanto de conhecimento você adquiriu.