"Abrindo..."

Os Estados Unidos no dia 8 de maio de 2018, se retirou do acordo nuclear com o Irã. Segundo Donald Trump o “Irã é o principal estado patrocinador do terrorismo”. Seu antecessor, Barack Obama, negociou um acordo nuclear com o Irã com a promessa dos americanos aliviarem as sanções econômicas contra o país.

No fim do mês passado Donald Trump anunciou o envio de 1.500 soldados americanos ao Oriente Médio como resposta a quebra de acordo nuclear Iraniana que anunciou o enriquecimento de urânio acima do acordo nuclear. Semana passada, 14 de Junho 2019, o Comando Central das Forças Armadas dos EUA (CENTCOM) divulgou um vídeo acusando a guarda nacional iraniana de estarem por trás do ataque a dois petroleiros no golfo de Omã, no dia anterior. O Irã negou as acusações.

Ontem Teerã anunciou a derrubada de um drone americano acusando uma violação de espaço aéreo, os americanos se defenderam dizendo que o drone estava em espaço aéreo internacional. O Irã levou o caso a ONU afirmando que o drone espião americano estava sobrevoando o território do país sem autorização e foi derrubado na província de Hormozgan, na costa sul do Irã.

“A derrubada do drone americano foi uma clara mensagem para os Estados Unidos. Nossas fronteiras são o último limite e nós vamos reagir com veemência contra qualquer agressão.”

- disse Hossein Salami Comandante em chefe da Guarda Revolucionária Iraniana.


RQ-4 Global Hawk, modelo do drone abatido pelo Irã


O porta voz do comando central dos EUA no Qatar, Bill Urban, disse que nenhuma aeronave estava sobrevoando o Irã e que esse é um ataque não provocado a um equipamento de vigilância americana. Donald Trump em seu twitter disse - “o Irã cometeu um erro muito grande” Logo depois em entrevista amenizou a crise dizendo que poderia se tratar de uma falha humana.

“Eu imaginaria que foi um general ou alguém que cometeu um erro ao abater o drone. Pode ter sido alguém burro ou que agiu por conta própria.”

Questionado sobre uma possível resposta da Casa Branca o ocupante diz:
“Vocês saberão em breve, não vamos deixar passar”.

As sanções americanas contra o Irã anunciado pelo presidente Donald Trump quer reduzir a zero a exportação de petróleo Iraniana e promete punir os compradores do produto. Desde abril de 2018 o Irã passou de 2,5 milhões de barris de petróleo por dia a 400 mil barris.

Decisão que levou o Irã a quebrar o acordo nuclear, e anunciar que ultrapassará no dia 27 de junho o limite estabelecido de 300 quilos de urânio enriquecido. Donald Trump, anunciou o envio de mais mil soldados americanos, atualmente só na região do Golfo Pérsico os americanos já mantêm ao menos 29.400 soldados.

Na manhã de ontem o presidente russo Vladimir Putin disse que essas ações militares contra o Irã seriam catastróficas para o “Oriente Médio” e afirmou que o país está cumprindo o acordo nuclear.

Essas tensões entre Irã e Washington subiram o valor do barril de petróleo que estava em baixa desde janeiro, a cotação internacional tipo Brent teve uma alta de 4,66% para U$67,69. E na cotação interna americana subiu 6,3% para U$57,13 o barril.